perda de olfato e paladar covid 19

A perda de olfato com o Covid-19 e os óleos essenciais

A perda de olfato com o Covid-19 e os óleos essenciais

Que ajuda podem dar os óleos essenciais em situações de Anosmia? Com o avanço da pandemia tem sido reportado por cerca de 10% da população afetada pelo vírus Covid-19, que mesmo após 6 meses continuam com perda parcial ou total de olfato.

À perda do sentido de olfato chama-se de Anosmia (perda total ou parcial da capacidade olfativa).

Segundo os estudos efetuados por Dr. Jane Parker, professora associada em flavor chemistry na Universidade de Reading, e Dr. Simon Gane, um rinologista na Universidade de Londres, explicam que para a maioria das pessoas houve uma inflamação local da membrana olfativa, zona responsável pelo "olfato", em que esta esteve obstruída por muco e inchaço e por essa razão bloqueada da percepção de "cheiros". Para a maioria das pessoas quando estes sintomas passam e o inchaço resultante da inflamação reduz é uma questão de algumas semanas até recuperar o sentido olfativo.

Agora, algumas pessoas tiveram inflamações severas da membrana olfativa e nesse caso poderão ter ocorrido danos nos nervos e tecido da membrana resultando em perda de olfato. Contudo ambos os especialistas indicam que, como vários outros nervos do sistema nervoso periférico, estes são possíveis de se regenerar e recuperar, "Têm boas chances.".

Os óleos essenciais e a neurorregeneração da membrana olfativa

Os óleos essenciais estão a ser alvo de vários estudos para determinar o seu grau de eficácia na ajuda da recuperação olfativa. Já é possível ver testemunhos positivos de pessoas que dizem ter mantido uma prática de treino olfativo com óleos essenciais durante 2 meses.

Os óleos essenciais aconselhados para este treino do nosso nariz são Óleo Essencial de Rosa, neste caso servirá o Rose Touch (Roll-On), Óleo Essencial de Limão, Óleo Essencial de Cravo-da-Índia (Clove) e Óleo Essencial de Eucalipto.

A escolha de estes 4 óleos segue as experiências de Thomas Hummel, um psicólogo alemão que desenvolveu esta técnica em 2009 para ajudar na recuperação nervosa da membrana olfativa. A escolha dos óleos representa 4 categorias de origem aromática (floral, frutadopicante e resinoso).

As nossas indicações é que deverá inalar durante 20 segundos cada um destes óleos 2 vezes ao dia, durante um período de 2 meses.

Os óleos essenciais funcionam também como agentes despertadores de memórias que muitas vezes associamos aos aromas, por isso esta prática trabalha não só o sentido olfativo, treinando o nariz a cheirar, procurando o aroma, mas também apela a uma recuperação que pode ser facilitada por aromas aos quais estamos mais emocionalmente ligados.

Aqui o importante é começar a ter resultados e começar pouco a pouco a percepcionar os aromas começando com óleos essenciais que são potentes fontes aromáticas.

Mas no fundo deve praticar o seu sentido olfativo com tudo aquilo que possa! Para começar, e para dar-lhe motivação procure aromas mais fortes, como por exemplo o café, ou especiarias fortes que tenha por casa.

Há várias pessoas a dizer que o Peppermint tem sido uma grande ajuda.

Fontes:

Deixe um comentário

* Necessário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

Política de Privacidade
Visitar a Loja

Select language